O aprendizado da música para evitar prejuízos cognitivos

CONHEÇA O ESTUDO

Fica cada vez mais evidente que a música é uma forte aliada da saúde humana, com benefícios comprovados na qualidade de vida das pessoas. Um estudo canadense indica que aprender música pode ajudar no tratamento de sequelas causadas pelo derrame. Pesquisadores do centro de Ciência Baycrest descobriram que áreas importantes do cérebro, responsáveis pela audição e controle motor, são estimuladas pelo aprendizado da música, independente do instrumento musical. A prática evita também, declínios cognitivos que comprometem a capacidade motora durante o processo do envelhecimento, preservando áreas importantes do cérebro.

“A música tem sido conhecida por provocar efeitos benéficos ao cérebro, mas, até agora, existe uma compreensão limitada sobre como ela pode fazer a diferença para o nosso corpo” disse Bernhard Ross, principal autor do estudo em um artigo publicado no Journal of Neuroscience.

Em um experimento, 19 adultos sem histórico de distúrbios neurológicos foram submetidos a teste de audição e os resultados confirmaram anormalidade. Suas ondas cerebrais, registradas por um aparelho de ressonância magnética, foram medidas durante a execução de sons por uma tigela de canto tibetano (um pequeno instrumento musical composto por um sino e um pedaço de madeira). Após a execução, metade dos participantes do experimento tentaram reproduzir o som ouvido com o instrumento real, enquanto a outra metade, através de um computador, que reproduzia o mesmo som.

A análise dos dados do experimento mostrou que as regiões do cérebro ligadas à audição e à percepção motora foram mais estimuladas no grupo que replicou o som diretamente no instrumento. “O aumento foi significativamente maior do que o observado nos participantes do grupo que desencadeou sons gravados no computador por um pressionamento de tecla. Observamos maior conectividade entre córtices auditivos e sensório-motor” disse Bernhard Ross.

Trata-se de um experimento simples, mas cujos resultados surpreendentes abrem o caminho para estudos mais aprofundados relacionados ao tema, que poderá melhorar a qualidade de vida e a saúde mental de muitas pessoas.

últimas notícias